Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

PELÍCULA ALIMENTAR BIOLÓGICA PODE PROTEGER MELHOR OS ALIMENTOS QUE O PLÁSTICO

Mäyjo, 28.06.15

Película alimentar biológica pode proteger melhor os alimentos que o plástico

Um novo estudo revela que o melhor material para preservar alimento pode não ser o plástico mas sim películas produzidas a partir de óleos essenciais naturais. A investigação foi publicada na revista científica Journal of Agricultural and Food Chemistry e revela que películas cobertas por óleos essenciais de cravinho e orégãos mantêm o pão fresco durante mais tempo do que o plástico convencional aliado a um conservante alimentar, conhecido como propanoato de cálcio.

A descoberta foi feita por investigadores do departamento de tecnologia alimentar da Universidade Federal de Vicosa, no Brasil, que decidiram testar os efeitos dos óleos essenciais depois de saberem das suas propriedades antimicrobianas. Reconhecendo a necessidade de novas soluções de conservação alimentar que não recorram a produtos tóxicos, a equipa de cientistas começou a equacionar a forma de introduzir os óleos essenciais nas embalagens alimentares.

Durante a investigação, os cientistas verificaram que as películas alimentares cobertas com óleos essenciais potenciavam um decréscimo na contagem de leveduras e bolores presentes num pão após 15 dias. “Os dois óleos essenciais reduzem a rigidez e aumentam a duração da película biológica que protege o pão”, escreveu a equipa de investigadores, cita o Healthy Holistic Living.

Comparados com o propanoato de cálcio, os óleos essenciais mantêm o pão fresco durante mais tempo e não se desgastam como os conservantes convencionais.

TAMPÕES PODEM AJUDAR A COMBATER A POLUIÇÃO

Mäyjo, 28.06.15

tampao_SAPO

Além de serem um produto de higiene íntima feminina, os tampões servem agora um propósito mais científico: ajudar a detectar o nível de poluição dos rios. De acordo com uma nova investigação britânica, o algodão utilizado na produção dos tampões não é o mesmo utilizado na indústria têxtil por motivos de higiene, mas é altamente absorvente.

A sua capacidade de absorção dos tampões torna-os capazes de captar as substâncias químicas provenientes das várias indústrias – nomeadamente a cosmética – que são lançados para os rios. Quando são expostos a luz ultravioleta, os tampões que absorveram água contaminada ficam fluorescentes, indicando a presença de agentes nocivos.

A descoberta desta capacidade dos tampões aconteceu quando uma equipa de investigadores da Universidade de Sheffield tentava descobrir quais as construções britânicas modernas que estavam a lançar resíduos para os cursos de água, escreve a BBC.

“Os meus estudantes deram conta que o tampão era o objecto perfeito: o algodão não está tratado, têm um cordão na exterminada que permite prendê-lo e estão protegidos por um invólucro. São uma ferramenta científica perfeita”, explica David Lerner, coordenador do estudo à estação britânica.

Ao fim de alguns dias debaixo de água, como explica o investigador, os tampões expostos a luz ultravioleta absorvem os produtos químicos provenientes das fábricas, por mais pequena que seja a sua concentração. A utilização destes produtos é também uma maneira rápida e económica de estudar as bactérias existentes nos rios e determinar a qualidade das águas.

Foto: Sibelius1982 / Creative Commons

Visto de cima

Mäyjo, 28.06.15

Niagara Falls

Niagara Falls.jpg

Cataratas Do Niágara

43.0799°N 79.0747°W

Fronteira entre Ontário, Canadá e Nova York, Estados Unidos

Niagara Falls é o nome coletivo para três cachoeiras que se situam na fronteira entre Ontário, Canadá e Estados Unidos. As quedas têm a maior taxa de fluxo de qualquer cachoeira do mundo, com uma queda vertical de mais de 50 m. O barco Maid of the Mist, visível aqui, leva passageiros nas corredeiras imediatamente abaixo das quedas desde 1846.

Visto de cima: plantas das cidades

Mäyjo, 28.06.15

Bairro da Medina

Marrakesh, Morocco.jpg

Marraquexe, Marrocos

31,633080724 °, ° -7,986173343

 

O bairro da Medina de Marraquexe, Marrocos, é caracterizado por suas ruas sinuosas e labirínticas.

Como um favo de mel, os becos estreitos estão intrinsecamente ligados.

Com menos de um metro de largura, em certos pontos, nesta área normalmente não há tráfego automóvel.